Ceará fecha quase três mil postos de trabalho no pior maio desde 2003.

O Ceará fechou quase três mil postos de trabalho no mês de maio, fechando o sexto mês seguido com recorde de desemprego, segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego divulgados nesta sexta-feira (24). Em maio, o Ceará perdeu 2.906 vagas com carteira assinada, o pior maior desde o início da série histórica, em 2003.
Ainda de acordo com o Caged, a redução equivalentes à retração de 0,25% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Os setores de atividade que mais contribuíram para esta redução foram Serviços (-1.476 postos), Comércio (-772 postos) e Construção Civil (-383 postos).
Na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, nos cinco primeiros meses do corrente ano houve decréscimo de 22.983 postos (-1,92%). Ainda na série com ajustes, nos últimos 12 meses verificou-se perda de 3,75% no nível de emprego ou -45.789 postos de trabalho.
72 mil empregos a menos no país
Em todo o Brasil, as demissões de trabalhadores com carteira assinada em maio superaram as contratações resultando no fechamento de 72.615. Entre janeiro e maio, o país perdeu 448.101 vagas de trabalho. Trata-se do pior resultado para o período desde o início da série histórica, que começa em 2002.
Maio foi o décimo quarto mês seguido de fechamento de vagas com carteira assinada. O último mês com contratações acima das demissões foi março do ano passado, quando foram criados 19,2 mil postos de trabalho.
Apesar de negativo, o resultado do mês passado foi menos ruim do que o registrado em maio de 2015, quando foram fechados 115.599 postos de trabalho - pior resultado para meses de maio desde o início da série histórica do indicador, em 1992.
No ano passado, foi a primeira vez que houve corte de vagas em um quinto mês do ano, o que se repetiu em 2016.
O crescimento do desemprego é consequencia da recessão que atinge a economia brasileira, a maior dos últimos 25 anos. No primeiro trimestre de 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) teve queda de 0,3% em comparação com os três meses anteriores.
Em 2015, o PIB encolheu 3,8% e, para este ano, a previsão do mercado financeiro é de um recuo de igual intensidade.
Acumulado
As 448.101 vagas formais de trabalho fechadas nos primeiros cinco meses do ano considera os valores ajustados (ou seja, contando com as declarações enviadas fora do prazo) de janeiro a abril, e o valor sem ajuste do mês de maio.
O resultado é o pior para o período desde o início da série histórica disponibilizada pelo Ministério do Trabalho, que, no caso de períodos acumulados, começa em 2002.
Antes disso, o pior resultado havia sido registrado no ano passado, quando, de janeiro a maio, foram fechados 243.948 postos com carteira assinada. Nos anos anteriores, o saldo acumulado é positivo - ou seja, houve mais abertura que fechamento de postos de trabalho.

Do G1 CE
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.