Em menos de um mês, mais de 60 presos já fugiram de cadeias públicas e presídios cearenses.

Já passa de 60 o número de presos que fugiram de presídios e cadeias públicas cearenses somente neste mês. No fim de semana, mais duas fugas ocorreram no Complexo Penitenciário de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), onde estão concentradas seis unidades carcerárias de grande porte.
Na madrugada de sábado passado (18), pelo menos, sete detentos conseguiram escapar da Casa de Privação Provisória da Liberdade Cinco (CPPL 5), onde funciona também o Centro de Execução Penal e Integração Social, unidade que ainda está em fase de construção e que tinha inauguração agendada pelo Governo para dezembro próximo. Contudo, devido à destruição de outras unidades durante a mega rebelião ocorrida nos dias 21 e 22 de maio passado, a CPPL 5 teve que abrigar, pelo menos, 500 presos.
Os presos utilizaram uma escada de aproximadamente sete metros de altura e uma corda feita artesanalmente com lençóis, conhecida como “Tereza”, para escalar o alambrado que cerca o presídio. Em seguida, eles se refugiaram no matagal e tentaram, chegar às  margens da BR-116. No entanto, patrulhas da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em atuação naquele trecho da rodovia, acabaram recapturando seis dos foragidos.
OUTRA
Já na madrugada de domingo (19), uma fuga foi registrada na CPPL 4, também em Itaitinga. O número de presos que conseguiram escapar ainda não foi revelado pela Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus), que informou a recontagem para esta segunda-feira. Boatos falam de até 30 foragidos, porém, foram confirmadas até agora, quatro fugas.
Na manhã deste domingo um preso da CPPL 3 foi encontrado morto. As suspeitas são de mais um caso de assassinato por “acerto de contas” entre os internos da unidade. O nome do preso não foi revelado. O corpo foi encaminhado para a Coordenadoria de Medicina Legal (Comel).
REBELIÃO
Na Região Norte do Estado, o clima ainda é tenso na maior unidade penitenciária daquele setor do Ceará. A Penitenciária Industrial Regional de Sobral (PIRS), passou por uma violenta rebelião na última sexta-feira (16).  Os detentos denunciaram a superlotação e praticaram atos de vandalismo. Quebraram todas as grades das celas e galerias, tocaram fogo em colchões e roupas e fizeram agentes penitenciários reféns.
O tumulto só terminou após várias horas de negociação com as autoridades e com a intervenção do Grupo de Apoio Penitenciário (GAP) que foi mandado de Fortaleza para Sobral em um helicóptero da Ciopaer.
Além dos presídios da Grande Fortaleza, neste mês já ocorreram fugas nas cadeias públicas das seguintes cidades, Pedra Branca, Trairi, Fortim, Limoeiro do Norte, Pindoretama. Bela Cruz e Massapé, além da Penitenciária de Pacatuba e na delegacia do 15º DP (Cidade 2000).
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.