Vereador defende fim de carros de som nas campanhas eleitorais.

O vereador Acrísio Sena (PT) sugeriu, ontem, o fim da utilização de carros de som nas eleições. De acordo com o parlamentar, assim como a pintura de muros, os carros de som estão obsoletos, por causa da internet e outros meios de divulgação.
Acrísio iniciou sua fala, no plenário da Câmara Municipal, explicando que, desde 2012, assumiu uma campanha de combate à poluição visual na cidade e que, eventualmente, mudanças aconteceram no processo eleitoral que acabaram com a pintura de muro durante as eleições oficialmente. De acordo com o parlamentar, sua campanha agora é contra os carros de som.
“Fiz um requerimento e enviei ele ao Ministério Público Eleitoral e ao TRE, com base em duas leis que criamos nesta casa, a Lei do Silêncio e a Lei do Paredão, como são conhecidas. O carro de som é algo absolutamente obsoleto, porque com o avanço que temos nas redes sociais, hoje, felizmente, temos um meio de comunicação melhor, e sem falar que com o celular, a última função que utilizamos nele é realmente falar”, explicou.
O vereador explicou que de acordo com o TRE, carros de som ainda podem atuar nas eleições, mas com limite máximo de 80 decibéis, e disse que esse número representa 10 pessoas falando ao mesmo tempo, e disse que um carro de som tem amplificação de 10 mil watts e um trio elétrico possui amplificação de 20 mil watts. Acrísio também demonstrou preocupação na questão da fiscalização do som.
“Se temos aqui 1000 candidatos, será que teremos fiscalizar os 80 decibéis de todos os carros de som? Com mais esforço e vontade que o órgão de fiscalização tenha, não teremos capacidade de fiscalizar todo carro de som, paredões e também trio elétrico. Portanto, estamos solicitando uma reunião com os partidos políticos para que possamos fazer um pacto pelo silêncio e contra a poluição visual em Fortaleza”, concluiu.

Fonte: O Estado - CE
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.