Desemprego atinge 11,5% da população cearense no segundo trimestre.

A taxa de desocupação no Ceará avançou mais uma vez, indo a 11,5% no trimestre encerrado em junho, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta quarta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. No trimestre anterior (janeiro, fevereiro e março), o desemprego atingia 10,8% dos cearenses.
O percentual de desocupação no segundo trimestre deste ano equivale a um total de 448 mil pessoas, ante 403 mil desocupados no primeiro trimestre de 2016. O rendimento médio habitual dos 3,4 milhões de pessoas que estão ocupadas no Estado ficou em R$ 1.296.
Em Fortaleza, a desocupação chegou a 11,4% no segundo trimestre deste ano, variação de 0,4% em relação ao trimestre anterior (jan-fev-mar), quando a taxa de desemprego na capital cearense atingia 10,9% da população fortalezense.
BRASIL
No País, a taxa de desocupação chegou a 11,3% no segundo trimestre deste ano, apresentando alta em todas as grandes regiões em relação ao mesmo período de 2015: Norte (de 8,5% para 11,2%), Nordeste (de 10,3% para 13,2%), Sudeste (de 8,3% para 11,7%), Sul (de 5,5% para 8,0%) e Centro-Oeste (de 7,4% para 9,7%). No 1º trimestre de 2016, as taxas haviam sido de 12,8% no Nordeste, 11,4% no Sudeste, 10,5% no Norte, 9,7% no Centro-Oeste e 7,3% no Sul.

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores ficou acima da média do Brasil (R$1.972) nas regiões Sudeste (R$ 2.279), Centro-Oeste (R$ 2.230) e Sul (R$ 2.133), enquanto Norte (R$ 1.538) e Nordeste (R$ 1.334) ficaram abaixo da média.
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.