VENDA DE LIMINARES: Operação da PF no Ceará cumpre mandados de condução e busca contra três desembargadores e 14 advogados.

Uma operação desencadeada na manhã desta quarta-feira (28),  em Fortaleza, pela Polícia Federal teve como alvo residências, escritórios e gabinetes de três desembargadores e 14 advogados, suspeitos de envolvimento num esquema criminoso de venda de liminares para bandidos pertencentes a organizações criminosas. A ordem partiu do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a pedido da Polícia Federal no Ceará.
Os nomes dos envolvidos não foram divulgados oficialmente pelas autoridades, mas são pessoas que já tiveram suas identidades reveladas anteriormente pela Imprensa local como investigadas no esquema montado dentro do Tribunal de Justiça do Ceará para a concessão de liberdade aos bandidos pelo preço de R$ 150 mil por cada habeas corpus concedido nos plantões de fins de semana e feriados no TJCE.
Os mandados expedidos pelo STJ e já cumpridos pela PF são nove de busca e apreensão e outros 14 de condução coercitiva, quando os suspeitos ou indiciados são conduzidos mesmo à força à presença da Justiça para prestar depoimento.  Os mandados foram expedidos pelo ministro Herman Benjamin.
Ao acatar o pedido da Polícia Federal, o ministro explicou que “há fortes indicativos  de conluio entre advogados e desembargadores visando à liberação de criminosos através da concessão de liminares em habeas corpus impetrados principalmente durante os plantões judiciais”.
Já a Polícia Federal, em nota à Imprensa sobre as investigações, foi enfática ao declarar que: “vislumbrou-se fartas evidências sobre as negociatas das decisões”.
A venda de liminares teria beneficiado cerca de 300 bandidos ligados a crimes graves como tráfico de drogas, ataques a carros-fortes e assaltos a bancos. Seriam criminosos pertencentes à facção criminosa paulista Primeiro Comando da Capital (PCC).
NOMES
Entre os investigados pela PF e pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estão os desembargadores cearenses Paulo Timbó, Váldsen da Silva Pereira e Carlos Feitosa.  E entre os 14 advogados, estão: Michel Sampaio Coutinho, Daniel Francisco de Almeida Ferreira, Mauro Rios Júnior, Fernando Carlos de Oliveira Feitosa, Marcos Paulo de Oliveira Sá e Maria Goreth Ferreira (ex-delegada de Polícia Civil).

Por FERNANDO RIBEIRO
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.