Ceará já teve um grande terremoto e pode ter novamente; confira.

No dia 20 de novembro de 1980, por volta da meia-noite, ocorreu um tremor de terra, conhecido localmente como “Terremoto de Pacajus”, e foi considerado o maior que já aconteceu nas regiões Norte e Nordeste, com magnitude de 5,2 na Escala Richter. Devido à ação da Natureza, 488 casas foram danificadas no epicentro do fenômeno registrado, na verdade, na localidade de Brito, no município de Cascavel, fronteira como o município de Chorozinho.
Francisco Brandão, chefe do núcleo de sismologia da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Ceará (CEDEC), explica que, em qualquer desastre natural, o batismo de um evento sísmico acontece em função da proximidade do local com o maior contingente populacional. Neste caso, foi a cidade de Pacajus, que contava com 46.976 habitantes, incluindo Chorozinho, então distrito do município, vindo a emancipar-se sete anos depois. Por isso, a confusão.
Casas destruídas em Chorozinho devido ao terremoto, em 1980 Foto: Artigo Terremoto de Pacajus: 30 anos depois/Francisco Brandão
Ainda sobre a ocasião, o especialista em sismologia, que fez uma pesquisa no local durante o fenômeno, reforça que não houve óbito. No entanto, diz que teve vítimas de toda ordem. “Houve pessoas com clavícula e nariz quebrados, além de incêndios. Nos anos 80, ainda tinha geladeira que era movida a querosene e, quando o eletrodoméstico caiu, devido ao tremor, automaticamente pegou fogo. O Governo do Estado montou barracas para dar assistência à população, além de também recuperar as casas no local do epicentro. O terremoto foi em um raio de 600km. Chegou lá em Teresina, no Piauí”, contou ele.
TREMORES RECENTES
Moradores de Alcântaras relataram dois tremores de terra no município no último dia 21 de outubro. No entanto, de acordo com Francisco Brandão, o equipamento que registra o terremoto não estava funcionando na hora do susto. “O Joaquim tem razão quando cita que Alcântaras é uma região ativa. Para que você tenha uma ideia, já são contabilizados mais de 4.000 sismos, desde que a terra começou a tremer, em janeiro de 2008. Não por coincidência, mas essa atividade perdura até hoje”.
Ainda sobre os tremores sentidos na região Centro-Sul do Estado, Francisco reforçou que o terremoto, de magnitude 3.0, aconteceu na região de Iguatu e Orós. Além dos dois municípios citados, a população de Icó também sentiu o fenômeno. “Esta atividade sísmica está ocorrendo numa região onde normalmente não são observados tremores de terra e, como sempre acontece, é impossível saber como essa atividade sísmica vai evoluir”, relatou o blog Sismos do Nordeste, projeto de responsabilidade do Laboratório Sismológico da UFRN, que tem por finalidade divulgar notícias sobre os tremores de terra que ocorrem na região Nordeste do País.
MEDIDAS PREVENTIVAS

Devido às atividades sísmicas constantes que acontecem no Ceará, a Defesa Civil faz um trabalho para alertar como as pessoas devem agir durante e após o terremoto.
De acordo com um folheto que o órgão disponibiliza para download em seu site oficial, durante o tremor, se estiver em casa, o cearense deve ir para debaixo de uma mesa ou portal, afastar-se de objetos que possam cair e de janelas de vidro e desligar o gás. Se estiver na rua durante o fenômeno, o indicado é você ir para uma área livre. Caso você esteja em um prédio, durante o sismo, não use elevador ou escada. Após o susto, prepare-se para novos pequenos abalos, só use o telefone em caso de necessidade absoluta e procure informações no site da Defesa Civil e da Prefeitura

Fonte: Diário do Nordeste
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.