Ceará libera recursos para criação de Polo Químico Industrial em Guaiúba

Esse empreendimento vem para mudar a realidade deste município”. Com a declaração diante do povo de Guaiúba, o governador Camilo Santana assinou, na manhã desta segunda-feira (20), a liberação de recursos direcionados às obras de instalação do Polo Industrial Químico na localidade da Região Metropolitana de Fortaleza.

O Governo do Ceará destina investimento superior a R$ 10,8 milhões para o empreendimento, que envolverá participação de 27 empresas e irá gerar cerca de dois mil empregos diretos na cidade.

O Polo será construído dentro de uma área de 42,25 hectares. Para contemplar todo o aporte estrutural da área industrial, a estrutura vai receber R$ 95,6 milhões investidos pelas próprias indústrias. Do financiamento estadual, R$ 6,9 milhões são advindos da Secretaria da Infraestrutura (Seinfra) e R$ 3,9 milhões da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece). O Sindiquímica pretende instalar dez empresas este ano, dez em 2018 e sete em 2019.

O Governo do Ceará, por meio de Seinfra e Adece, proverá a infraestrutura básica, de pavimentação e drenagem para as empresas se instalarem no Polo de Guaiúba. A previsão é de seis meses para o início das obras. Será fornecido pelo Estado, ainda, o abastecimento de energia – 700 metros de redes de alta tensão de 69KV e uma subestação de médio porte, com dois transformadores de MVA. Este serviço será feito pela Enel e deve ser entregue dentro do prazo de 18 meses, com a utilização de transformadores importados.

Segundo o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Beto Studart, a instalação do Polo Químico Industrial representa a contemplação de um setor fundamental para as indústrias. O empresário alegou que o projeto do Sindquímica traz desenvolvimento para uma área que movimentação fundamental para empresas da área química.

“É importante que a gente saiba que eles precisam de muito incentivo. E o governador tem condições de fazer esse incentivo, investindo em inovação e tecnologia. É fundamental que o investimento venha, não só na pesquisa básica, mas também na pesquisa aplicada, em cada área e setor”, explicou.
Fonte Ceará Agora
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.