Brasília começa a articular sucessão de Michel Temer, diz jornal.

Brasília já se estaria se articulando para uma provável queda do presidente Michel Temer e a instituição de um novo governo. De acordo com o jornalista Alberto Bombig, do Estadão, há tratativas para costurar um acordão visando não só uma nova eleição presidencial, mas também a alteração da Constituição para garantir foro privilegiado a ex-presidentes da República, o que beneficiaria diretamente Lula, Sarney, Collor, Dilma e, eventualmente, Michel Temer, todos alvo de investigações".

Segundo a apuração de Bombig, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não teria condições de assumir, sendo necessário "alguém com coragem suficiente para enfrentar a opinião pública e frear os procuradores e o juiz federal Sérgio Moro" – que, segundo ele, giram em torno de Nelson Jobim e Gilmar Mendes.

"O novo presidente, oriundo do acordão, ainda convocaria uma nova Constituinte e se aprovaria uma reforma mínima da Previdência, para acalmar os mercados e o setor produtivo. A Constituinte instituiria eleições e mandatos a promotores e procuradores, a exemplo do que ocorre nos Estados Unidos", escreveu Bombig.

O jornalista Gerson Camarotti, em seu blog no site do G1, também afirma que "
partidos aliados iniciaram uma articulação para formar uma espécie de coalizão para suceder o governo Michel Temer". 

Segundo ele, um cacique do PSDB teria dito que o mais difícil no momento é "fazer com que Temer caia na real", uma vez que estaria em curso uma debandada generalizada da base aliada do governo.


Fonte: Zero Hora ( ZH Politica )
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.