Emilio Odebrecht vai depor novamente a Moro em ação contra Lula.

Segunda – feira dia 12.06.2017
SÃO PAULO - O patriarca da construtora Odebrecht, Emilio Odebrecht, será interrogado novamente pelo juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira. O processo é o que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de receber propina da empreiteira por meio de um terreno que seria comprado para a construção de uma nova sede para o Instituto Lula e de um apartamento vizinho ao que o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.
Devem ser ouvidas outras nove pessoas, entre esta manhã e tarde, como o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e o ex-governador do Rio Grande do Sul e ex-ministro do governo Lula Tarso Genro. Eles serão testemunhas de defesa de Lula.

O depoimento de Emilio será retomado por decisão do Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF4) , que aceitou um pedido formulado pela defesa de Lula. O pedido foi feito após a audiência em que Emilio Odebrecht foi ouvido porque, segundo a defesa, o Ministério Público Federal (MPF) acrescentou documentos ao processo que não puderam ser verificados a tempo da primeira oitiva.
No primeiro depoimento, na semana passada, Emílio afirmou a Moro que nas reuniões que mantinha com Lula “houve pedido” de “contribuições” para as campanhas eleitorais do PT. Um dos 77 delatores da empresa, Emílio relatou encontros com o petista para pedir ajuda em negócios de seu interesse, como solicitação de interferência no Ministério da Fazenda.

Além de Emilio Odebrecht, o ex-executivo da empreiteira Alexandrino de Alencar, também deve ser reinterrogado, pelo mesmo motivo. Eles serão testemunhas de acusação de Lula e de defesa de Marcelo Odebrecht, que também é réu na ação.
A defesa de Lula nega as acusações, já que a obra do instituto não foi feita e, segundo os advogados, o apartamento é alugado pelo ex-presidente, desde a época em que ele ainda ocupava a presidência.
Além de Lula e Marcelo Odebrecht, são réus nesta ação o ex-ministro Antônio Palocci e o ex-assessor dele, Branislav Kontic. Os dois são acusados de terem intermediado o suposto pagamento de propina a Lula. Eles negam as acusações.
Fonte: O Globo


Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.