Sequestro Lufthansa. De volta para Alemanha.

Domingo dia 18.06.2017
O governo da Alemanha repatriará de Fortaleza o Boeing histórico da Lufthansa PT-MTB que está em um cemitério de aviões no Aeroporto Pinto Martins. A aeronave foi sequestrada em 1977 numa ação dos grupos terroristas Frente Popular para a Libertação da Palestina e Baader-Meinhof. No último dia 25 de maio, o juiz federal Alcides Saldanha Lima, da 10ª Vara do Ceará, determinou a remoção do 737-230C para virar peça de museu, provavelmente, em Frankfurt. lO POVO apurou que o governo Alemão concordou em assumir e quitar uma dívida de R$ 75,9 mil que era da inoperante TAF Linhas Aéreas. Pelo acordo judicial, a embaixada germânica teria dez dias, a contar de 25 de maio, para pagar o valor acertado e 180 dias para retirar o avião do Aeroporto Internacional Pinto Martins de Fortaleza.  
A empresa cearense TAF Linhas Aéreas abandonou o 737-230C no Pinto Martins em fevereiro de 2008 e, de lá até aqui, a aeronave perdeu as poltronas e teve peças e o motor retirados. No entanto, a carcaça do avião ainda está intacta, apesar da ação do tempo.
O Boeing, antes de vir parar no Ceará, pertenceu a nove empresas de transporte de passageiro ou carga. Segundo documentos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), conseguidos pelo O POVO pela Lei de Acesso à Informação (LAI), a TAF comprou o avião por US$ 4.708.268,39 da empresa Transmille Air Services, do Kuala Lumpur.  
Pelo contrato, a TAF concordou em pagar US$ 200 mil como sinal -  antes de receber a aeronave. Mais US$ 149.250,00 trinta dias após a entrega do Boeing e 32 parcelas de US$ 135 mil. Mas a empresa brasileira, por causa de problemas financeiros e falência, não conseguiu pagar a dívida encostando o avião que foi da alemã Lufthansa.  
Em 2011, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançou o Programa Espaço Livre, que tinha como objetivo remover dos aeroportos brasileiros todas as aeronaves que estavam sob custódia da Justiça e que, “abandonadas”, acabavam criando cemitérios de aviões. 

Geradores de transtornos por ocupação de espaço e insegurança para a operação nos terminais aeroportuários.  
Para se ter uma ideia, segundo o “Relatório de Aeronaves Apreendidas, Inativas, abandonadas e/ou Sobre Processo Judicial”, de 15/1/2015/Infraero, dez aviões estavam inoperantes no Pinto Martins. 
Pouco adiantou o programa lançado pelo CNJ há seis anos. Em abril de 2013, a Anac cancelou a matrícula do já sucateado PT-MTB. Dois meses antes, havia declarado a caducidade da concessão do serviço de transporte regular da TAF Linhas Aéreas. A decisão, disponível no http://pergamum.anac.gov.br/arquivos/DA2013-0018.PDF, não explica o que levou o cancelamento da operação da empresa cearense. O POVO enviou e-mail e telefonou para um dos proprietários da TAF, mas não houve retorno.
Fonte: O POVO Online

Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.