Ceará joga bem, mas abusa nos gols perdidos, fica no empate com o Santa Cruz e segue fora do G-4


O Ceará jogou bem, foi superior ao Santa Cruz durante boa parte do jogo e teve as melhores oportunidades de gol. Jogando no Arruda, na noite desta terça-feira, 26, foram duas bolas na trave, várias defesas do goleiro Júlio César, um dos personagens do jogo, e um festival de chutes pra fora. O Vovô pecou no último toque e o alto número de gols perdidos fez o Alvinegro não sair do 0 a 0 com o time pernambucano, que também teve ótimas chances para marcar, mas esbarrou no goleiro Éverson, que também esteve em noite inspirada.

Com o resultado, o Alvinegro chegou aos 42 pontos na tabela e não pode terminar a 26ª rodada da Série B do Brasileiro dentro do G-4.

O Ceará volta a campo no próximo sábado, 30, para enfrentar o Luverdense, às 19 horas, no estádio Passo das Emas.

O JOGO

Como era de se esperar em um duelo em que só a vitória interessava às duas equipes, a partida começou movimentada no Arruda. Logo com dois minutos de jogo, uma boa chance para cada time. Rafael Pereira, inclusive, tirou uma bola em cima da linha naquele que seria o primeiro gol do Santa.

O que se viu do Ceará foi um time que manteve uma boa postura mesmo jogando fora de casa. Sobretudo ofensivamente. O Vovô não se acanhou diante de um adversário que, tradicionalmente, é muito forte jogando em casa - e estava embalado por três jogos sem perder - e criou várias oportunidades de balançar as redes, mas pecou muito no último toque.

A pontaria dos alvinegros, definitivamente, não estava afinada. Foram 22 finalizações em todo o jogo, sendo 12 erradas. É certo que esbarrou no goleiro Júlio César, que teve uma atuação destacada, e impediu que as 10 finalizações certas do Ceará entrassem. Mas algumas desses chances foram desperdiçadas por preciosismo dos atacantes.

Faltou também um pouco de sorte. Os chutes de Lima e Richardson, ambos no 2º tempo, esbarraram caprichosamente na trave.

A vitória ficou perto e poderia ter sido conquistada aos 49 minutos. Arthur recebeu ótimo lançamento de Éverson e saiu cara a cara com Júlio César, mas chutou em cima do goleiro. Era o sinal de que não importa quanto tempo houvesse, as redes do Arruda não seriam balançadas.

O que deixou a desejar da atuação alvinegra foi o sistema defensivo. Se no ataque o que faltou foi ajustar a pontaria, alguns erros de posicionamento lá atrás quase custaram a derrota.

No âmbito geral, o Alvinegro, além das melhores chances de gol, foi superior tatica e fisicamente. Ricardinho e Lima - um dos melhores jogadores em campo - funcionaram bem juntos. Um capricho maior nas finalizações faria o time voltar de Recife com três pontos na bagagem. Os dois que ficaram lá podem fazer falta no final do campeonato.
Fonte: O Povo Online
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.