Tejuçuoquense fica em 1º lugar no 3º Congresso Brasileiro de Especialidades de enfermagem (CBEE) em natal no rio grande do norte.

O jovem e recém-formado enfermeiro Silva Júnior entrou para história do município de Tejuçuoca por ficar em 1º lugar no 3º Congresso Brasileiro de Especialidades de Enfermagem (CBEE) em Natal - RN.

Para quem não sabe o nosso conterrâneo Silva Junior, participa de uma equipe entre médicos e enfermeiros que estuda o novo tratamento de queimaduras através de Pele de Tilápia.

A pele de Tilápia é a nova promessa no tratamento de queimaduras. Desenvolvida no Ceará, a alternativa promete ser melhor e mais barata em relação à terapia tradicional utilizada no Brasil.

“Uma das coisas mais importantes do curativo com tilápia é que na queimadura superficial, a de segundo grau, ela fica até o final da cicatrização, algo em torno de dez dias, sem precisar trocar diariamente”, explica o coordenador.

Parabéns ao amigo Silva Júnior por se destacar na enfermagem em nível de Brasil. Você merece ganhar uma medalha de honra ao mérito de seu município, pois na cidade de Tejuçuoca muitos sabem que você é de família humilde e o quanto você com a força de sua mãe, batalhou para conseguir se formar como enfermeiro e ainda por cima ganhar merecidamente esse prêmio.

São pessoas lutadoras assim como você que realmente merece ser reconhecido pelas autoridades do nosso município, pois você elevou o nome do município a nível de país como uma pessoa super inteligente e guerreiro.

Mais informações sobre este evento:
O Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE/Faculdade Redentor) realizou na cidade de Natal (Rio Grande do Norte), nos dias 1, 2e 3 de dezembro a terceira edição do Congresso Brasileiro de Especialidades de Enfermagem, o CBEE 2017. Dando sequencia a um dos eventos mais importantes da Enfermagem Brasileira, focado na motivação profissional, na explanação das diversas especialidades, na múltipla produção científica, no desenvolvimento vocacional e no networking. É neste evento que a enfermagem é transformadora se torando em um dos alicerces políticos estimulando, proporcionando em ambientes ricos com trocas de experiências que exala inspiração. As especialidades de Enfermagem são conhecidas, reconhecidas e discutidas com evidências e com a sabedoria de experiências exitosas.

Como funciona: aplicação do curativo
As tilápias são retiradas do açude Castanhão, em Jaguaribara, maior reservatório de água doce do Ceará, localizado a 260 quilômetros de Fortaleza. “As peles são lavadas no local de retirada com água corrente pela própria equipe, colocadas em caixas isotérmicas e levadas para o Banco de Pele na Universidade Federal do Ceará”, explica Edmar Maciel, cirurgião plástico coordenador da fase clínica em andamento no Instituto José Frota (IJF).

Depois de passarem pela esterilização inicial, são enviadas para São Paulo, ao Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) da Universidade de São Paulo (USP), onde passam por uma radioesterilização, procedimento que elimina possíveis vírus e garante a segurança do produto. Quando voltam para o banco de pele do estudo, após cerca de 20 dias, as peles são refrigeradas, e podem ser utilizadas em até dois anos. “A pele da tilápia, quando colocada, adere-se à pele ‘tamponando’ a ferida. Ela causa um verdadeiro ‘plastrão’”, explica Maciel. Com isso ela evita a contaminação do meio externo e que o paciente perca líquido e proteínas, causando desidratação e prejudicando a cicatrização.

De acordo com o médico, o resultado tem sido bastante positivo. “Até o momento não observamos nenhuma contraindicação. O que estamos estudando são ajustes de pele, formas de colocação, melhor maneira de dar maior conforto ao paciente”, salienta.
Atualmente, o tratamento está disponível apenas para feridos por queimaduras do Instituto José Frota (IJF), em Fortaleza e já foi testado em mais de 60 pacientes.

Fonte: veja.abril.com.br/saude/pele-de-tilapia-a-nova-promessa-no-tratamento-de-queimaduras/
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.