Oito suspeitos de participação na chacina das Cajazeiras estão detidos na DHPP.

Dos oito, sete foram capturados pela Polícia Militar na manhã de ontem quando estavam armados no sepultamento de uma das vítimas do massacre. Entre os suspeitos está o chefe de uma quadrilha da facção GDE que atua no bairro Boa Vista.

Cinco bandidos de alta periculosidade, a maioria com vasta ficha criminal e passagens por presídios do Sistema Penitenciário cearense, são os suspeitos de terem executado as 14 pessoas na madrugada de sábado último (27) em uma casa de shows, no bairro Cajazeiras. Presos por policiais militares quando estavam em um cemitério observando o sepultamento de uma das vítimas do massacre, eles agora estão sendo interrogados na DHPP.

Os cinco homens foram capturados na manhã de segunda-feira (29) por patrulhas da 3ª Companhia do 14º BPM (Maracanaú)  no interior do Cemitério Jardim do Éden, em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Entre eles, está João Paulo Félix Nogueira, o “Paulinho das Caixas”, apontado como chefe da facção criminosa Guardiões do Estado (GDE), no bairro Boa Vista.

“Paulinho das Caixas” tem uma extensa ficha de crimes. Além dele, também foram presos e levados para a DHHP os seguintes suspeitos: Victor Max de Freitas, Lucas de Sousa Teixeira, Fábio Lopes da Silva, Francisco Cleidson de Araújo Tomaz, Jhojohn Rodrigues da Silva e Elias Gadelha de Araújo.

Fuzil
Além dos sete suspeitos presos no cemitério, a Polícia já havia anunciado que no mesmo dia da chacina, um primeiro suspeito fora capturado em flagrante armado com um fuzil. A prisão ocorreu na Rua Fidel Castro, no bairro Cajazeiras, na mesma área onde aconteceu a chacina. O suspeito portava também drogas como macinha e cocaína.

A Polícia acredita que outras pessoas envolvidas no crime sejam identificadas nas próximas horas, inclusiva algumas mulheres que teriam sido vistas disparando armas de grosso calibre contra as vítimas.
Fonte: cearanews7.com
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.