Aliança entre Eunício e Camilo está em risco

Está em risco a aliança eleitoral que o governador Camilo Santana (PT) e o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB) tentam construir visando as eleições de outubro. O entrave é o pré-candidato do PDT à presidência da República, Ciro Gomes, que voltou a demonstrar sua repulsa ao MDB. Em entrevista, o presidenciável disse que “com a quadrilha do PMDB eu não quero negócio”.

O assunto foi destaque no Bate Papo Político desta quinta-feira, 10, do Jornal Alerta Geral(Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 24 emissoras no Interior). Enquanto Camilo é candidato à reeleição, Eunício quer, com o apoio do PT, conquistar um novo mandato ao Senado. As acidez das frases de Ciro, contudo, atingem a aliança Camilo-Eunício. Os dois tentam transformar a aliança administrativa em acordo eleitoral.

Para o jornalista Beto Almeida, Ciro e o PDT são as “pedras no meio do caminho” da aliança PT-MDB no Estado do Ceará. Se depender de Camilo e Eunício, no entanto, o acordo entre os partidos deve prosperar. Já o PDT, sigla de Ciro, vê-se em meio a uma contradição: apoiar o MDB no Estado ao mesmo tempo que critica as reformas propostas pelo governo do presidente Michel Temer, filiado ao MDB. Ciro sabe que quanto mais se distanciar e bater no Governo Temer, comandado pelos emedebistas, maior proximidade terá com o eleitorado.

Alianças de Ciro
Com a desistência do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa (PSB), de disputar as eleições presidenciais deste ano, a sigla do ex-ministro deve escolher entre dois caminhos: apoiar Ciro na corrida presidencial deste ano ou liberar os diretórios estaduais para apoiarem o candidato que for mais conveniente para os interesses regionais.

Dentro do partido, no entanto, o nome de Ciro Gomes agrada a lideranças nordestinas, mas dirigentes de outras regiões também reconhecem, reservadamente, que o apoio ao pré-candidato do PDT é o mais viável. O congresso do PSB, realizado em março, inclusive, definiu que, caso houvesse aliança na eleição presidencial deste ano, ela deveria ser feita com um candidato de centro-esquerda, o que se encaixa no perfil de Ciro.

Opção para vice da chapa
O Bate Papo Político também destacou que Ciro Gomes pode ter ganhado o nome que procurava para compor a vice de sua chapa. Segundo reportagem do Jornal O Estado de São Paulo, o empresário Benjamin Steinbruch, dono do grupo Vicunha Têxtil, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e recém-filiado ao PP, é cotado para compor o palanque junto com Ciro, que entrou nos planos do PP, PR e DEM como opção para aliança ainda no primeiro turno da eleição do Palácio do Planalto.

Lideranças nacionais do PDT deram sinais de entusiasmo com a novidade apresentada pelo PP. A avaliação no PDT é de que o empresário, de 64 anos, se encaixa no perfil que Ciro procura para vice, já que o presidenciável disse que procurava um vice do ramo empresarial e ligado ao Sudeste – Steinbruch tem forte ligação com o eixo São Paulo-Rio-Minas.
Fonte: www.cearaagora.com.br

Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.