Domingos Neto confirma acordo com Cid e volta do PSD ao Governo

O Presidente da Executiva Regional do PSD, deputado federal Domingos Neto, confirmou em primeira mão, nesta quarta-feira, 23, em entrevista ao Jornal Alerta Geral, articulações com o ex-governador Cid Gomes para o seu grupo voltar à base de apoio ao Governo do Estado. Domingos revelou que as conversações com Cid foram abertas pelo presidente regional do DEM, ex-deputado federal e primeiro suplente de senador Chiquinho Feitosa. Chiquinho é tio da esposa de Domingos Neto e ambos exercem liderança política na Região dos Inhamuns.

Durante a entrevista, Domingos revelou que a “traição” do deputado estadual Audic Mota (PSB) ao grupo de Chiquinho Feitosa abriu as portas para o PSD voltar à aliança com os irmãos Ferreira Gomes. Audic, após romper com o então vice-governador Domingos Filho, foi eleito deputado estadual em 2014 com o apoio de Chiquinho e do ex-deputado Idemar Citó e se aliou ao senador Eunício Oliveira (MDB).

Em 2016, na disputa pela Presidência da Assembleia Legislativa, Audic rompeu com Eunício e se aliou ao governador Camilo Santana. Em 2017, Audic rompeu com o grupo de Chiquinho Feitosa e, no mês de abril deste ano, filiou-se ao PSB após ser rejeitado no PDT. O descontentamento de Chiquinho e Domingos com a postura de Audic Mota acelerou a ida do PSD para a base do Governo Camilo Santana e a redefinição de rumos na política da Região dos Inhamuns, principalmente, em Tauá.

A decisão do PSD em apoiar à reeleição do governador Camilo Santana gerou impacto na oposição comandada pelo PSDB. O bloco de oposição perdeu, além do PSD, o Solidariedade, liderado pelo deputado federal Genecias Noronha, que tem, na Região dos Inhamuns, a sua origem política. O deputado federal Domingos Neto disse, ainda, que terá uma conversa com o governador Camilo Santana.

Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.