Itapajé: Incomodado com investigações vereador tenta desqualificar trabalho do delegado durante sessão

Na Sessão da noite desta sexta-feira, 11, na Câmara municipal de Itapajé, o trabalho desenvolvido pelo Delegado de Polícia Civil André Firmino, titular da Delegacia local, foi comentado pelo Vereador Haroldo Mota, ao afirmar baseado em pronunciamentos feitos no plenário por colegas seu, que a Operação Educação do Mal, deflagrada nesta semana em Itapajé, ainda investiga a suposta prática de adulteração de notas de alunos da Escola Padre Lima, unidade pertencente à rede municipal de ensino. Oparlamentar ainda afirmou que nada está comprovado pelo motivo das investigações estarem em pleno andamento. Haroldo Mota foi além de seu comentário acerca da investigação do suposto crime cuja operação está apurando, e disse que a tentativa do adiantamento dos fatos por parte dos comentários distintos relativos ao episódio vindo à tona nesta semana e falado até mesmo pelo próprio delegado que está à frente das investigações; o Vereador disse que tudo isto pode ser muito mais “pirotecnia” que fatos concretos até o presente momento. Esta expressão dita pelo parlamentar foi complementada ao afirmar que a autoridade policial tem prendido cidadãos (citou até exemplos) e enquanto que outros autores de criminalidade, não. Ainda na fala do Vereador Haroldo – um aparte ao pronunciamento do seu colega Ernando Mesquita, o parlamentar disse que já foi votado pela Câmara (anteriormente) a concessão de um Título de Cidadão ao Delegado André Firmino que na análise dele [Haroldo] não se sabe nem quem é, pelo fato de ter chegado ao município “dias atrás”. Enfático, por achar está repleto de razão bem sólida, o Vereador Haroldo Mota afirmou que Vereador Haroldo Mota, adesão à base de apoio ele mesmo não sabe nem quem “diabo é”, ainda mais dar uma comenda como esta [título de cidadão], se referiu o parlamentar. Detalhe: O do Prefeito Dimas Cruz na Câmara municipal, disse que o próprio Gestor já determinou que o Secretário de Educação acompanhe os fatos em investigação, e se apurado que existem envolvidos no que é acusação, os mesmos sejam punidos.
Por Mário Almeida
Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.