No Ceará, 1,25 milhão de pessoas vivem abaixo da linha da pobreza extrema

O número de pessoas em situação de extrema pobreza, com renda inferior a US$ 1,90 por dia (R$ 140 por mês), avançou 0,6% na passagem de 2016 para 2017 no Ceará, segundo dados da Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira, 5, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Durante esse período 8,3 mil pessoas a mais passaram a viver nessas condições no Ceará, totalizando 1,25 milhões de pessoas em 2017 (13,9% da população) na extrema pobreza.

Com relação aos demais estados, o Ceará tem a oitava maior proporção de população vivendo em pobreza extrema, atrás do Maranhão (19,8%), Acre (17,4% ), Piauí (16,8%), Alagoas (15,5%), Bahia (15,0%), Sergipe (14,8%) e Amazonas (14,4%).

Por outro lado, indo de encontro com a tendência nacional, quase nove mil cearenses deixaram saíram da linha de pobreza na passagem de 2016 para 2017, um recuo de 0,2% do contingente de pessoas com rendimento de R$ 406 por mês.

No ano de 2016, eram 4,039 milhões em situação de pobreza no Ceará, já em 2017 esse numero caiu para 4,030 milhões.

Ceará na linha da pobreza
Mas mesmo com essa melhora, o Estado ainda é a nona maior população situada na linha de pobreza do País, ou seja 44,7% da população encontra-se nessa situação.

O Estado só fica à frente do Maranhão (54,1%), Alagoas (48,9%), Amazonas (47,9%), Acre (47,7%), Pará (46%), Amapá (45,9%), Piauí (45,3%) e Bahia (44,%).

Brasil
No Brasil, o número de pessoas em situação de pobreza cresceu quase 4% no mesmo período, passando de 52,8 milhões em 2016 para 54,8 milhões em 2017, o equivalente a 26,5% da população brasileira.

Quanto a condição de pobreza, extrema aumentou em 13%, saltando de 13,5 milhões para 15,3 milhões o número de pessoas que vivem quase indigentes, ou seja 7,4% da população do país.
Com informações do IBGE


Rogilson Brandão

Rogilson Brandão

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.